Conexão com o Divino

Conexão com o Divino ou Eu Superior

1. Moolamantra
2. Passos para a Oração
3. Relacionamento com o Divino
4 Entrega

1. O Moolamantra

A Oneness University tem nos ensinado diferentes versões de Moolamantras. Todas elas invocando o Divino / Consciência Superior através da expressão de qualidades e aspectos desse Divino / Consciência Superior. Você pode cantar a versão com a qual se sentir mais identificado.

A versão mais recente (Om Sreem Sarveshwaraya) tem uma pequena variação da versão intermediária - pequenos ajustes nas sílabas para invocar um poder maior. A versão intermediária (Om Sri Sarveshwaraya) não é mais válida, tendo sido substituída pela versão mais recente. E a  primeira versão (Om Sat-chit-Ananda) é a mais conhecida e melodiosa de todas.

As versões válidas para invocar a presença Divina são a primeira e a mais recente. Você pode cantar ambas, ou uma ou outra, conforme queira. Ambas têm o mesmo poder e chama / invocam a presença Divina com a mesma intensidade.

As três versões seguem abaixo.

Versão mais recente:

49 Repetições (17min): https://youtu.be/RuDrq_IhPJU

"Om Sreem Sarveshwaraya Namaha
Om Sreem Param Jyotishe Namaha
Om Sreem Param Premaya
Om Sreem Param Karuniaya Namaha
Om Sreem Param Pavitraya

Saudações ao Tudo o que Há
Saudações à Luz Suprema
Saudações ao Amor Supremo
Saudações à Compaixão Suprema
Saudações à Pureza Suprema

As últimas frases podem também ser entendidas como:
Saudações ao Supremamente Compassivo
Saudações ao Supremamente Sagrado


Versão Intermediária:

Como Cantar: https://www.youtube.com/watch?v=auB0ATtpxxU

"Om Sri Sarveshwaraya Namaha
Om Sri Param Jyotiye Namaha
Om Sri Jyothi Roopaya Namaha"

Saudações ao Tudo o que Há
Saudações à Luz Suprema
Saudações ao Orbe Dourado

Primeira Versão:

“Om Sat Chit Ananda Parabrahma 
Purushotama Paramatma
Sri Bhagavati Sametha
Sri Bhagavate Namaha”

Explicação

Quando cantamos o Moola Mantra evocamos o poder da Presença Divina. Mesmo sem saber o seu significado, o canto já carrega poder por si só. Mas quando sabemos o significado e cantamos o Moola Mantra com esse entendimento no nosso coração, a energia que flui através do canto é muito mais poderosa.

Cantar o Moola Mantra é como chamar por um nome. Estamos chamando Deus, ou a Presença Divina, o Eu Superior ou o nome como você prefira chamar. Evocamos a energia Divina através do Moola Mantra. E atendendo ao nosso chamado, ela se manifesta ao nosso redor e em nós.

O Divino pode se manifestar em qualquer lugar, a qualquer momento. Então o Moola Mantra pode ser cantado ou falado, em voz alta ou interiormente, em qualquer lugar ou situação, e o efeito dele será sempre como um chamado que é atendido.

É importante também saber que quando invocamos a energia Divina com entrega, humildade, respeito e com grande vontade, a Presença se manifesta ainda mais forte. E é possível ensinarmos esse mantra para outras pessoas, se quisermos ajudá-las e se elas entenderem que isso poderá ser benéfico.

O significado do Moola Mantra

O Moola Mantra é um chamado pelo Divino. E como o Divino está em todas as partes, em tudo o que é manifesto e também naquilo que é não-manifestado, como o Divino pode estar dentro de nós e fora de nós, e também pode estar encarnado em um corpo humano (através da manifestação de um Avatar) , o Moola Mantra chama pelo Divino em todas essas possibilidades de manifestação. Ao cantar o mantra, estamos chamando o Divino em cada aspecto possível de sua manifestação e não-manifestação.

OM é o princípio universal, o som primordial. É o som do Universo. OM é uma sílaba sagrada que representa BRAHMAN, que é o Absoluto Impessoal, onipotente, onipresente e fonte de toda a existência manifesta. Como BRAHMAN é, em si, é incompreensível, o símbolo OM se tornou necessário para nos ajudar a entender o incognoscível. OM representa então tanto o aspecto não-manifesto quanto o aspecto manifesto de Deus, e é por isso que é também chamado de Pravana, significando que ele penetra na vida e corre através de nosso Prana ou respiração.

SAT-CHIT-ANANDA, são as três qualidades do Universo, ou de Deus. SAT significa Existência; CHIT significa Consciência; ANANDA significa Bem-Aventurança. Deus (ou o Universo) é Existência, Consciência e Bem-Aventurança.

PARABRAHMA é aquilo que está além de BRAHMA. BRAHMA é o Ser ou Espírito Universal. PARABRAHMA é a causa de todas as causas, a essência de tudo no cosmos, aquilo que contém e permeia o Universo. É a verdade absoluta, sujeito e objeto, a suprema realidade.

PURUSHOTAMA é o humano mais elevado. Purush é humano. Utam é elevado. O Eu Supremo pode tomar forma em uma existência humana, e se manifestar como um Avatar.

PARAMATMA é a manifestação do Eu Supremo que está situado no centro de cada indivíduo (ou Atman). Os Upanishads comparam Atman e Paramatman a dois pássaros pousados como amigos no galho de uma árvore (o corpo). O Atman come seus frutos (o Karma), e os Paramatman apenas observa o Atman como testemunha das ações de seu amigo.

SRI BHAGAVATI é a forma como os indianos se referem às divindades femininas. SAMETA significa em união. SRI BHAGAVATE é a forma como os indianos se referem às divindades masculinas

NAMAHA significa que eu me prostro e me curvo, busco a sua e orientação, reverencio e me entrego em gratidão.

Recapitulando, ao cantar o Moola Mantra estamos literalmente chamando o Divino aos quarto ventos, e em tudo que está além dos quarto ventos, em todas as partes e não-partes do Cosmos. Estamos percorrendo cada recanto do Universo manifestado e do não-manifestado. Estamos evocando o Divino em nós, e em suas encarnações como Avatares.

Ao cantar o Moola Mantra, evocamos o Divino através do OM ou BRAHMA, que é o aspecto manifestado e também o aspecto não-manifestado do Divino. Evocamos o Divino através das suas 3 características fundamentais, que são SAT-CHIT-ANANDA – Existência, Consciência e Bem-Aventurança. Evocamos o Divino que está além dos princípios manifestado e não-manifestado Dele, que é PARABRAHMA – a causa de todas as causas, a essência de tudo, aquilo que contém e permeia o cosmos. Evocamos o Divino que está encarnado na figura de Avatares, que nesse caso são as presenças de Amma & Bhagavan. E evocamos o Divino que está dentro de nós, através de PURUSHOTAMA.

Ao fim, demonstramos a nossa entrega e gratidão, com a palavra NAMAHA.

2. Passos para a Oração
Existe uma metodologia para acessar o Divino, ou a Consciência superior ou Eu Superior. São alguns passos simples, que foram criados a partir da observação das preces das pessoas e do tipo de resposta que essas preces recebem.

*         Ter clareza sobre o que você quer
O primeiro importante passo é ter Clareza sobre o que você quer exatamente. Você deve saber claramente o que quer, e que tipo de ajuda ou em que pontos você deseja receber alguma ajuda do Divino.

É muito comum as pessoas não terem clareza sobre onde desejam chegar. Ou que fazem seus pedidos de forma generalizada – quero amor, saúde, felicidade, prosperidade.  Observe o que essas coisas significam para você, e quais aspectos em sua vida, quais mudanças trariam essas coisas para você. E então faça o seu pedido para que esses aspectos e essas mudanças aconteçam. Procure chegar ao máximo de detalhes e clareza.

*         Cultivar a Integridade Interior
O segundo passo importante na prece é a Integridade Interior. Integridade Interior significa saber o que vai dentro de você, os motivos verdadeiros que levam você a pedir o que pede em sua prece. Se o seu pedido tem relação a algum sentimento de medo ou insegurança, esteja ciente disso e seja sincero a respeito disso.

Não há necessidade de criar belos motivos para o Divino. Seja qual for a razão que faz você querer o que você pede, o Divino vai atendê-lo, desde que você mesmo esteja consciente dessa razão. Quanto mais sincero você for consigo mesmo, mais rapidamente o Divino irá ouvi-lo e atendê-lo.

Pessoas não Integrais contam mentiras para si mesmo. E essas mentiras criam camadas entre você e o seu Divino, impedindo que a prece seja plena e verdadeira. E então a resposta do Divino também será dificultada, porque não houve sinceridade de motivos no pedido.

Tenha consciência das suas emoções e dos seus verdadeiros anseios, e a partir dessa consciência, faça a sua prece. Não é necessário ser transparente todo o tempo com o mundo exterior, mas essa transparência é essencial em você consigo mesmo e com o Divino. Experimente isso e observe as respostas às suas preces.

*          O Pedido
O terceiro passo é fazer o pedido e sentir como se já tivesse recebido o que você pediu.
Use visualização e suas emoções para esse passo. Sinta como se você já tivesse o que você pede. Experimente a emoção de ter ou ser o que você quer.  Não como algo a acontecer no futuro, mas algo que já está em suas mãos. Se você quer alguma coisa, experiencie isso como já sendo seu.

Apenas tome cuidado nas suas experiências e visualizações para que tudo seja exatamente como você quer. Se você quer um apartamento, visualize-se na sala relaxando. Não se visualize limpando o apartamento. Há casos de pessoas que pediram um apartamento, e se viram trabalhando no lugar, e depois se tornaram efetivamente empregados nos locais que visualizaram.

*         Gratidão
O último passo é ser verdadeiramente grato. Acessar a gratidão no coração e expressá-la com sinceridade.

Para acessar esse estado, procure buscar dentro de si, em sua vida, os acontecimentos que você sabe que foram trazidos pelas mãos do Divino. E seja grato por eles. Experiencie esse estado de alegria, segurança e certeza de que você foi ouvido e atendido nos seus desejos – dos menores aos mais secretos e profundos.

Todos nós temos milagres acontecendo todo o tempo em nossas vidas. Há pequenos milagres acontecendo diariamente para cada um de nós. Procure desenvolver a sensibilidade para perceber esses milagres, e habitue-se a expressar a sua gratidão sempre que perceber esses acontecimentos.

O Divino é como uma criança, quanto mais você elogia, mais ele vai querer fazer coisas boas para você, e você voltará a elogiá-lo. E ele seguirá querendo ajudá-lo para receber a sua alegria.

Nós recebemos tanto em nossas vidas. E há tão pouco que podemos fazer para agradecer ao Divino. Expressar a gratidão ativamente é uma dessas coisas. Cuide de desenvolver essa capacidade em você. E veja os milagres se multiplicando ao seu redor.

3. Relacionamento com o Divino

É importante termos uma experiência pessoal do Divino.

O Divino pode ser sentido como paz, amor, alegria. Ele pode também ser percebido como um estado de conformidade com qualquer coisa que esteja acontecendo. Também pode ser a experiência do vazio, de que nada existe. Ou uma experiência direta em uma manifestação humana.

 “Homem e Deus são duas extremidades da mesma realidade”. Eles não podem estar separados. Eles são como o corpo e as células.

Narayana é a relação entre as células individuais (naras) que são cada indivíduo. As células formam o corpo Divino, que é Narayana. É a Consciência Cósmica, ou Presença, que está tentando nos alcançar o tempo todo.

Quando uma célula está em dor, o corpo está em dor. E quando questionamos se Deus está nos ouvindo, é o mesmo que questionar se o corpo sente ou não o desconforto das células. Nossa dor é como dor no corpo de Deus. E da mesma maneira que o corpo tem seus mecanismos de se curar, o Divino também vem em sua cura.

Nós não cortamos o nariz fora quando estamos resfriados. Da mesma forma, o Divino não julga ou condena qualquer ser humano. O Divino simplesmente não pode condenar nada nem ninguém. Ele vem em nossa ajuda porque sente a nossa dor, e procura curá-la. A nós cabe apenas assumirmos o compromisso de ser uma das células que quer ser curada, e que coopera com a cura.

Somos todos filhos do pai/mãe Divinos. O Divino é amor incondicional. Ele não consegue ver separação entre o pobre e o rico, o ladrão e o sábio. E para que a cura aconteça, a colaboração das células é necessária. O Divino sozinho não pode curar cada um, temos que trabalhar juntos, estarmos abertos e cooperar.

a.      Como se aproximar do Divino

O modo mais fácil de aproximar-se do Divino é sendo verdadeiro consigo mesmo.

Bhagavan diz que podemos contar milhões de mentiras externamente, mas se contarmos uma mentira para nós mesmos, a porta se fecha e a luz não pode chegar. No mundo exterior, temos que seguir certas regras para sobreviver. Mas no mundo interno, temos que ser autênticos.

Uma prece verdadeira é aquela onde captamos nossas verdadeiras intenções, onde estamos cientes de nossos desejos e medos mundanos. Só é possível criar um relacionamento verdadeiro com o Divino, quando demonstramos e assumimos nossas fragilidades e incertezas. É essa autenticidade que faz o relacionamento com o Divino se tornar mais vivo, próximo e mais real.

b.     Prática para contato como Divino

Todos os dias, ao acordar.
Sentar-se quieto, fechar os olhos. Inspirar e expirar profundamente algumas vezes.
Conectar-se com o Divino ou com o coração, ou com o seu Ser supremo, com Amma & Bhagavan (ou qualquer que seja sua referência espiritual na vida).
Pedir para que a Presença Divina nos guie durante todo o dia e esteja conosco em cada momento, cada interação, cada gesto, palavra.

4. Entrega

O corpo não é meu.
A mente não é minha.
Os pensamentos não são meus.
(Sri AmmaBhagavan)

Os sentimentos gerados por esses pensamentos não são meus. Não controlamos o corpo, a mente, sentimentos. Não controlamos as outras pessoas nem os sentimentos e comportamentos. Tudo o que foi dito teve como intuito entendermos que não estamos no controle. E achar que estamos é a raiz de todo o sofrimento.

É a inteligência suprema que está sempre tentando nos guiar. Na realidade, ela já guia nossas vidas, mas por causa de nossos medos e limitações, nós resistimos.

Há duas categorias de pessoas em contato com o Divino: os que se agarram a Deus e sempre rezam e pedem, e os que compreendem que estão sendo levados interna e externamente por uma inteligência suprema.

Esses últimos sabem que tudo é controlado pela compaixão do Universo, e se entregaram. Não estão mais lutando contra nada, nem se agarrando a nada. Eles relaxaram. E o Divino pode tomar conta deles.

Quando relaxamos, a alquimia acontece. E então permitimos que nossas vidas sejam guiadas e cuidadas pelo Divino. 

Para mais informações / More information: 
patcouto8@gmail.com (Narayani, Brazil)

Facebook: https://www.facebook.com/narayani.patricia 
Livestream: https://livestream.com/narayani 
YouTube Channel: https://www.youtube.com/user/Narayani2009

2 comentários:

Romeu Lobo disse...

GRATIDÃO, GRATIDÃO, GRATIDÃO, MUITO BOM!

Carmen Beatriz disse...

Oi Narayani

Poderia traduzir o significado das palavras do novo MOOLA MANTRA? Por favor

SHREEM

SARVESHWARAAYA

PARAM

JYOTIYE

PREMAAYA

KAARUNYAAYA

PAVITRAAYA

Gratidão minha querida!!!!
Beijos
Carmen Beatriz